A Vida Mais Alta

A Vida Mais Alta

quinta-feira, 23 de julho de 2009

A MEDIUNIDADE SEM LÁGRIMAS

A FÉ E A PRECE

Há duas forças poderosas com as quais fàcilmente movimentamos as reservas fluídicas que o Senhor pôs à nossa disposição. Estas duas forças, tanto mais potentes quanto mais manejadas, são a fé e a prece.
A fé deve ser uma fé racional, isto é, devemos saber por que é que temos fé. A fé racional se adquire pelo estudo das leis divinas, consubstanciadas no Evangelho e nos ensinamentos do Espiritismo. Ter fé é ter confiança em
Deus; é saber que velando por nós, amparando-nos e protegendo-nos está a Providência Divina. Ter fé é entregar o nosso destino ao Pai que está nos céus, certos de que tudo que ele nos der, dores e alegrias, pobreza e riqueza, saúde e doença, tudo é para nosso bem; porque tudo servirá
para o aperfeiçoamento de nossa alma. Ter fé em Deus é ser resignado na adversidade e humilde na prosperidade. Ter fé é ter a certeza absoluta de que nada de mal sucederá, se Deus não o permitir; e se ele permitir
que nos sobrevenha algum mal é porque o merecemos; se não o merecêssemos o mal não nos atingiria. A fé é uma força de atração: atrai sôbre nós o socorro divino e ajuda-nos a socorrer aqueles que solicitarem o nosso auxílio.
A prece é um ato de fé. Pela prece adoramos a Deus, agradecemos-lhe os favores que nos faz continuamente e pedimos-lhe o de que necessitamos. A prece nos liga a Deus. Quando oramos, nosso pensamento, como um raio
luminoso, projeta-se pelo infinito e vai tocar as regiões de luz de onde nos chegam as bênçãos do Senhor. A prece desenvolve, aumenta e fortifica a nossa fé. A fé depende da prece e a prece depende da fé; é impossível separar uma da outra. A verdadeira prece se caracteriza pelos seguintes pontos: deve ser feita com carinho e amor; deve ser um impulso espontâneo de nosso coração. Orar apenas com os lábios nada significa; devemos sentir a nossa prece; é preciso que vivamos de acordo com ela; orar de um modo e viver de outro é próprio dos hipócritas.
Se pedimos ao Senhor que perdoe os nossos erros, devemos nós também perdoar os erros dos outros. Se pedimos ao Senhor que nos livre do mal, é nosso dever não praticar o mal. Se oramos ao Senhor que não nos deixe cair em tentação, precisamos resistir a todas as tentações, quando elas se apresentarem em nossa vida. Se rogamos ao Senhor que nos dê o pão nosso de cada dia, providenciemos para que não falte o pão a nossos irmãos menos favorecidos, uma vez que isso esteja ao nosso alcance; porque
a lei é esta:
- Aquilo que quiserdes para vós, isso mesmo fazei-o aos outros. Façamos nossa prece diária; depois vivamos o resto do dia de modo tal que nossos atos, palavras e pensamentos sejam uma glorificação ao Senhor. Para que a prece não se torne monótona e quase que automática pelo hábito, procuremos um motivo para orar; é preciso que a prece tenha um objetivo. É facílimo encontrar motivos para nossas orações diárias; basta repararmos ao nosso derredor e em nós mesmos; por exemplo: sabemos que há discórdia em uma família? oremos para que a concórdia volte a reinar em seu seio; há doenças em um lar? oremos para que lhe volte a saúde; há alguém em dificuldades? oremos para que as possa vencer; um irmão desencarnou? oremos para que o Senhor lhe conceda a compreensão de seu novo estado; descobrimos em nós um defeito? peçamos ao Senhor que nos ajude a corrigi-lo; temos vícios? roguemos ao Senhor que nos conceda as forças e a boa vontade para ficarmos livres deles. Assim, todos os dias
podemos arranjar nobres motivos para dirigirmos ao Senhor nossas preces.
E quando tivermos desenvolvido dentro de nós a fé viva e racional e aprendido a orar com o coração, seremos felizes e nos transportaremos aos planos superiores da espiritualidade.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Trailer de As Vidas de Chico Xavier - Nos cinemas no dia 2 de abril de 2010

Chico Xavier é uma adaptação para o cinema que descreve a trajetória do médium Chico Xavier, que viveu 92 anos desta vida terrena desenvolvendo importante atividade mediúnica e filantrópica. Vida conturbada, com lutas e amor. Seus mais de 400 livros psicografados, consolaram os vivos, pregaram a paz e estimularam caridade. Fênomeno? Fraude? Os Espiritos existem? Para os admiradores mais fervorosos, foi um santo. Para os descrentes, no mínimo, um personagem intrigante. Chico Xavier morreu em 2002, com 92 anos, e foi o representante do fortalecimento do espiritismo no Brasil.
O filme se chama "As vidas de Chico Xavier", e tem estréia prevista para abril do ano que vem, com direção de Daniel Filho, e tem como estúdio a Sony Pictures.
Acesso ao link, click e confira essa emoção!!

domingo, 19 de julho de 2009

O Céu e o Inferno por Herculano Pires

Esta é uma das cinco obras básicas que compõem a Codificação do Espiritismo, tendo como objectivo é explicar a justiça de Deus à luz da Doutrina Espírita, demonstrar a imortalidade do Espírito e a condição que ele usufruirá no Mundo Espiritual, como consequência de seus próprios actos. Esta obra em duas partes: A primeira, estabelece um exame comparado das doutrinas religiosas sobre a vida após a morte - mostra fatos como a morte de crianças, seres nascidos com deformações, acidentes colectivos e uma gama de problemas que só a imortalidade da alma e a reencarnação explicam satisfatoriamente.Kardec procura elucidar temas como: anjos, céu, demónios, inferno, penas eternas, purgatório, temor da morte, a proibição mosaica sobre a evocação dos mortos, etc. Apresenta, também a explicação espírita contrária à doutrina das penas eternas. A segunda parte, resultante de um trabalho prático, reúne exemplos acerca da situação da alma durante e após o desencarne.

sábado, 18 de julho de 2009

FILMES - Imagens do Além

Benjamin Shaw (Joshua Jackson) e sua esposa Jane (Rachael Taylor) estão em lua-de-mel em Tóquio, onde aproveitam para realizar uma lucrativa sessão de fotos em uma exótica oportunidade profissional. Porém quando rumam ao monte Fuji o carro em que estavam atropela uma mulher, que estava no meio da estrada e surgiu repentinamente. À medida que retomam a consciência, Benjamin e Jane se surpreendem ao não encontrar o corpo da atropelada. Abalados com o ocorrido, eles chegam a Tóquio e Benjamin inicia seu trabalho. Até que ele descobre em suas fotos misteriosas manchas brancas, que formam silhuetas humanas. As manchas surgiram um dia após as fotos terem sido tiradas e fazem com que Jane desconfie que tenha algo a ver com o acidente de carro que sofreram.
sobre fotógrafo que fica intrrigado com estranhas sombras que aparecem nas fotos que faz. A única que sabe disso é a namorada dele, uma vez que se descobre que as tais sombras guardam relação sobre o passado deles que agora os atormenta.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Biografia resumida de Bezerra de Menezes - o médico dos pobres... o Kardec brasileiro...


Dr. Adolfo Bezerra de Menezes - o Médico dos Pobres!
Nascido na antiga Freguesia do Riacho do Sangue, hoje Solonópolis, no Ceará, aos 29 dias do mês de agosto de 1831, e desencarnado no Rio de Janeiro, a 11 de abril de 1900.No ano de 1838, entrou para a escola pública da Vila do Frade, onde em meses apenas, preparou-se suficientemente até onde dava o saber do mestre que lhe dirigia a primeira fase da educação. Bem cedo revelou sua fulgurante inteligência, pois, aos onze anos de idade, iniciava o curso de Humanidades e, aos treze anos, conhecia tão bem o latim que ministrava, a seus companheiros, aulas dess matéria, substituindo o professor da classe em seus impedimentos.Seu pai, o capitão de antigas milícias e tenente-coronel da Guarda Nacional, Antônio Bezerra de Menezes, homem severo, de honestidade a toda prova e de ilibado caráter, tinha bens de fortuna em fazendas de criação. Com a política e por efeito do seu bom coração, que o levou a dar abonos de favor a parentes e amigos, que o procuravam para explorar-lhes os sentimentos de caridade, comprometeu aquela fortuna. Percebendo, porém, que seus débitos igualavam seus haveres, procurou seus credores e lhes propôs entregar entregar tudo que possuía, o que era sufuciente para integralizar a dívida.Em novembro de 1852, ingressou como praticante interno no Hospital da Santa Casa de Misericórdia. Doutrou-se em 1856 pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, defendendo a tese "Diagnóstico do Cancro". Nessa altura abandonou o último patronímico, passando a assinar apenas Adolfo Bezerra de Menezes.Corria sempre ao tugúrio do pobre, onde houvesse um mal a combater, levando ao aflito o conforto de sua palavra de bondade, o recurso da ciência do médico e o auxílio de sua bolsa minguada e generosa.O Dr. Carlos Travassos levou um exemplar de O Livro dos Espíritos, que acabara de traduzir e publicar no Brasil, e deu-o ao Dr Bezerra que, após ler disse o seguinte:— "Deu-mo na cidade e eu morava na Tijuca, a uma hora de viagem de bonde. Embarquei com o livro e, como não tinha distração para a longa viagem, disse comigo: ora, adeus! Não hei de ir para o inferno por ler isto... Depois, é ridículo confessar-me ignorante desta filosofia, quando tenho estudado todas as escolas filosóficas.Pensando assim, abri o livro e prendi-me a ele, como acontecera coma Bíblia. Lia. mas não encontrava nada que fosse novo para meu Espírito. Entretanto, tudo aquilo era novo para mim!... Eu já tinha lido ou ouvido tudo o que se achava no "O Livro dos Espíritos". Preocupei-me seriamente com este fato maravilhoso e a mim mesmo dizia: parece que eu era espírita inconsciente, ou, mesmo como se diz vulgarmente, de nascença."No dia 16 de agosto de 1886, um auditório de cerca de duas mil pessoas da melhor sociedade enchia a sala de honra da Guarda Velha, na rua da Guarda Velha, atual Avenida 13 de Maio, no Rio de Janeiro, para ouvir, em silêncio, emocionado, atônito, do eminente médico, do eminente cidadão, do eminente católico, Dr. Bezerra de Menezes, que proclamava a sua decicida conversão ao Espiritismo.Iniciava-se o ano de 1900, e Bezerra de Menezes foi acometrido de violento ataque de congestão cerebral, que o prostou no leito, de onde mais não se levantaria.Verdadeira romaira de visitantes acorria à sua casa. Ora o rico, ora o pobre, ora o opulento, ora o que nada possuía.Ninguém desconhecia a luta tremenda em que se debatia a família do grande apóstolo do Espiritismo. Todos conheciam suas dificuldades financeiras, mas ninguém teria a coramge de oferecer fosse o que fosse, de forma direta. Por isso, os visitantes depositavam suas espórtulas, delicadamente, debaixo do seu travesseiro. No dia seguinte, a pessoas que lhe foi mudar as fronhas, surpreendeu-se por ver ali desde o tostão do pobre até a nota de duzentos réis do abastado!...Em 11 de abril de 1900 voltava para a Pátria Espiritual o querido Adolfo Bezerra de Menezes, o médico dos pobres, o kardec Brasileiro, o vozinho querido de muitos, o anjo carinhoso que prometeu que, enquanto houver lágrimas na terra, aqui ficará para secá-las...
(resumo extraído do livro Grandes Vultos do Espiritismo, de Paulo Alves Godoy, 1ª edição - 1981 - FEESP São Paulo/www.garanhunsespirita.com.br

sábado, 4 de julho de 2009

Mensagens - Chico Xavier

Três verbos existem que, bem conjugado, serão lâmpadas luminosas em nosso caminho – Aprender,Servir e Cooperar.
Três atitudes exigem muita atenção – Analisar,Reprovar e Reclamar.Dê três normas de conduta jamais nos arrependeremos – Auxiliar com a intenção do bem, Silenciar e Pronunciar frases de bondade e estímulo.
Três diretrizes manter-nos-ão, invariavelmente, em rumo certo – Ajudar sem distinção , Esquecer todo mal e Trabalhar sempre.
Três posições devemos evitar em todas as circunstâncias – Maldizer,Condenar e Destruir.
Possuímos três valores que, depois de perdidos, jamais serão recuperados – A hora que passa,A oportunidade e A palavra falada.
Três programas sublimes se desdobram à nossa frente, revelando-nos a glória da Vida Superior – Amor, Humildade e Bom ânimo.
Que o Senhor nos ajude, pois, em nossas necessidades, a seguir sempre três abençoadas regras de salvação
–Corrigir em nós o que nos desagrada em outras pessoas.Amparar-nos mutuamente.Amar-nos uns aos outros.
Chico Xavier

quinta-feira, 2 de julho de 2009

IRMÃO URSO Dica de filme infanto-juvenil

Esta é a história de três irmãos Kenai, o caçula dos três irmãos, está prestes a receber o seu totem - um símbolo revelado pelos Grandes Espíritos Ancestrais que ajudará a guiá-lo durante a sua vida. Quando Tanana (a xamã da tribo) dá a ele um urso esculpido - o símbolo do amor - ele fica profundamente desapontado. Ele esperava algo um pouco mais imponente - como o totem da água (representando a liderança) recebido por seu irmão mais velho, Sitka, ou o totem do lobo (representando a sabedoria) de seu irmão, Denahi. Sitka procura consolá-lo, mas Denahi não perde a chance de encarnar no irmão caçula.Pouco depois, Kenai descobre que um urso roubou seu cesto abarrotado de peixes e, impulsivamente, sai à caça do animal. Seus irmãos seguem o seu rastro e correm para protegê-lo. Encurralado em meio a um confronto violento, Sitka faz um o maior dos sacrifícios para salvar os irmãos, quebrando com sua lança um enorme bloco da geleira onde ele se encontra. O corajoso jovem despenca do alto da geleira e cai no rio, mas não sobrevive, enquanto o urso emerge ileso à tona das águas revoltas.Ignorando os conselhos de Denahi e os ensinamentos de sua tribo sobre a fraternidade, Kenai localiza o urso que ele julga ser o responsável pela morte de Sitka. Apesar de estar em franca desvantagem, ele desafia a fera selvagem e acaba matando o animal. Neste momento, os Grandes Espíritos Ancestrais, na forma das luzes da Aurora Boreal, descem dos céus, envolvem Kenai e o transformam justamente na criatura que ele mais despreza. Enquanto isso, Denahi, que havia descoberto que seu irmão caçula saíra à caça do urso, chega à cena logo depois da transformação de Kenai. Vendo o urso de pé sobre as roupas rasgadas e a lança quebrada do irmão, ele supõe o pior - outro irmão foi morto por um urso. Deixando de lado sua filosofia pacífica, Denahi revolta-se e jura pegar o urso que matou seu irmão caçula.Kenai tem dificuldade para adaptar-se ao seu novo corpo de urso. Tanana, a xamã da tribo, aparece e o informa que foi o espírito de Sitka o responsável pela transformação e que Kenai poderá encontrá-lo na "montanha onde as luzes tocam a Terra". Kenai não tem a menor idéia de por onde deve começar sua busca. Denahi continua no encalço do urso que ele acredita ter matado Kenai, sem saber que o animal é o próprio irmão. Na Corrida do Salmão, Kenai recebe as boas-vindas dos ursos presentes ao seu festival anual e começa a deixar de lado seu velho ódio pelos ursos. Como resultado de sua jornada, Kenai começa a questionar tudo o que sabe e aprende várias lições importantes sobre o verdadeiro significado da fraternidade. Ao final, ele compreende que sua transformação física é insignificante comparada à sua mudança interior.
Uma bela mensagem e muito emocionante, vale a pena assistir!!

Nos Passos Do Mestre

Nos Passos Do Mestre
Confira as salas que estão exibindo o filme Nos Passos do Mestre a partir do dia 14/04, em São Paulo, Campinas, Sorocaba, Matão, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Rio de Janeiro,Belém e Manaus. Prestigie a obra para que mais salas se interessem por exibí-la!

Chico Xavier - O Filme

Chico Xavier - O Filme
Mais de 3.000.000 de pessoas já assitiram ao filme Chico Xavier. Clique na foto e assista!

As Mães de Chico Xavier - Filme Completo

As Mães de Chico Xavier - Filme Completo
Clique na imagem para assitir!!

Trailer do Filme - E a vida continua...

Trailer do Filme - E a vida continua...
Trailer filme "E a Vida Continua" exibido no 6º Congresso Espírita Mundial..Clique na imagem para assistir!!

Nosso Lar - Muitos mundos, muitas vidas...

Nosso Lar - Muitos mundos, muitas vidas...
Já parou pra refletir o que vc faz aqui??...Reencarnação questão de justiça!!! Clique na imagem para assistir!!

O Filme dos Espiritos

O Filme dos Espiritos
Clique na imagem e assista ao Filme completo!!